COMO MONTAR O PRATINHO DO SEU FILHO, NA INTRODUÇÃO ALIMENTAR? VOU TE AJUDAR!

15 julho, 2019

Olá 👋🏻você é uma mamãe preocupada e atenciosa? Está no período de introdução alimentar do seu filho? Já conhece os grupos alimentares para compor o pratinho? É muito importante que o prato contenha um alimento de cada grupo.  Vou te falar quais são eles:
·  Cereais e tubérculos – são os arroz (branco, integral...), macarrão, mandioca, batata, inhame, cará, farinhas, aveia, milho.
·  Verduras – espinafre, couve, escarola, agrião, rúcula, alface, almeirão.
·  Legumes – cenoura, beterraba, abobrinha, quiabo, brócolis, couve flor, jiló, chuchu.
·  Leguminosas – são os feijões, ervilha, lentilha, vagem, grão de bico, soja.
·  Proteínas de origem animal – Carnes, ovos, leites e derivados (este último não deve ser ofertado durante a refeição principal, que é almoço e jantar).
·  Não esquecer das frutas (que devem ser ofertadas em sua forma primária e não em sucos) e óleos (sim! De forma consciente os óleos são benéficos para o desenvolvimento da criança).
A orientação seguida deve ser de acordo com o “Guia alimentar para crianças menores de 2 anos” elaborado pelo Ministério da Saúde. “Os alimentos devem ser bem cozidos. Nesse cozimento deve sobrar pouca água na panela, ou seja, os alimentos devem ser cozidos apenas em água suficiente para amaciá-los” (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2002). “Ao colocar os alimentos no prato, amasse-os bem com o garfo e a consistência deverá ter
o aspecto pastoso (papa/purê). SEM PENEIRAR E NEM BATER NO LIQUIDIFICADOR.” (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2002). “A partir dos 8º mês, podem ser oferecidos os mesmos alimentos preparados para a família, desde que amassados, desfiados, picados ou cortados em pedaços pequenos.” (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2002). “Recomenda-se o uso de copinhos para oferecer água ou outros líquidos; dar os alimentos semi-sólidos e sólidos com prato e com colher.” (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2002). Lembre-se sempre de não utilizar temperos industrializados! 
Espero ter ajudado🤗
Mantenha acompanhamento com o seu médico e nutricionista, para assistência, um post nunca será uma consulta! 
Gisele Camargo – CRN3 52281/P

 

Quanto tempo o leite materno ordenhado pode ficar armazenado?

1 maio, 2019

Queridas mamães, vamos lá para as orientações de hoje:
· Tempo de armazenamento na geladeira – até 12 horas;
· Tempo de armazenamento no congelador ou freezer – até 15 dias;
· Leite pasteurizado – 6 meses no freezer!
O descongelamento deve ser feito gradualmente, NUNCA em temperatura ambiente, do congelador ou freezer você deverá deixá-lo descongelar dentro da geladeira, e após descongelado JAMAIS congelar novamente! (o descongelamento pode ser feito em banho-maria, mas vai demorar, então é bom se programar).
É interessante que você faça a ordenha 15 dias antes de começar trabalhar, eu sei que não é simples a ordenha, uma dica minha é para você fazer as ordenhas aos poucos durante o dia, hoje existem frascos feitos para isto, mas você pode usar o frasco de sua preferência, porém é obrigatório realizar a esterilização:
· Deixar ferver por pelo menos 15 minutos, e não secar com panos (deixe secar naturalmente, os panos podem contaminar o que você acabou de esterilizar!)
Não esqueça de etiquetar! Ok😉? Espero ter ajudado
Abraços🤗 
Mantenha acompanhamento com o seu médico e nutricionista 
Gisele Camargo – CRN3 52281/P

 

Vamos falar um pouco sobre disbiose?

28 abril, 2019

Olá 🤗 como vocês estão hoje?
Semana passada estava assistindo uma aula e estávamos falando sobre disbiose, então pensei em falar um pouco sobre o assunto de uma forma bem curta (o que é uma dificuldade para mim, já que escrevo muito 🤦🏼‍♀️ eu sei!).
Bom todos nós sabemos que em nosso corpo existem algumas colônias de bactérias, e como nem tudo é totalmente mal e nem totalmente bom, estas bactérias em questão auxiliam em alguns “processos” trazendo efeitos benéficos a nossa saúde. A disbiose é um desequilíbrio nestas colônias que “moram” em nosso intestino, o que ocorre é que por diversos motivos elas podem estar em menor quantidade que os agentes patógenos e chegamos ao desequilíbrio que da origem a diversos processos inflamatórios, sintomaticamente falando podemos sentir diversos desconfortos no trato gastrointestinal.
Isto é prejudicial a nossa saúde! Lembrando que a absorção dos nutrientes é realizada no intestino.
Mas não se preocupem, a disbiose é facilmente resolvida através da alimentação, meu conselho sempre é:
‼️Mantenha acompanhamento com o seu médico e nutricionista
Abraços 😘
Gisele Camargo – CRN3 52281/P 

 

Oiiiii mamães🤗 vocês conhecem o BLW Baby-Led Weaning (Desmame conduzido pelo bebê)?

6 abril, 2019

Esta técnica nada mais é do que oferecer o alimento ao bebê em pedaços que o possibilitem pegar e se alimentar sozinho, realizando a refeição junto com a família. Esta é uma forma de permitir a criança desenvolver autonomia e conhecer texturas, sabores e estimular a autonomia do seu filho.
Muito se questiona sobre os riscos de engasgos, é importante que o bebê esteja sentadinho de forma reta e que os alimentos sejam picados de forma segura, as crianças em introdução alimentar frequentemente têm reflexos ao se alimentar com alimentos sólidos onde não ocorre de fato o engasgo com obstrução de ar.
Há quem defenda e quem se posicione contra; minha sugestão é que vocês testem e se preferirem optar pelo método ok, e se não ok também, existem variedades de possibilidades hoje em dia, podemos escolher o melhor de cada (;
Lembre-se sempre: até o 6 º mês o melhor alimento para nossas crianças é o leite materno!
Mantenha acompanhamento com o pediatra e nutri
Abraços 🤗
Gisele Camargo – CRN3 52281/P 

 

Guia simples para um melhor funcionamento do intestino do seu bebê

24 março, 2019

Oiiiii mamães! Querem algumas orientações para melhorar o funcionamento intestinal do seu baby? Se as fezes do seu filho estão duras em pedaços, formato de bolinhas, e a frequência de evacuação são separadas em alguns dias, então esse post é para você.

Não esqueça de acompanhar seu filho no médico e nutri!

Nos primeiros 6 meses, os oligossacarídeos do leite humano são associados a determinação das características fecais, como consistência e frequência das fezes, sendo benéfico na prevenção da prisão de ventre.

Aumentar o aporte de fibras na dieta, associado ao aumento da ingestão de água. Essa combinação é eficaz no tratamento da constipação. Caso contrário o quadro tende a piorar!

Alimentos funcionais como probióticos ou prebióticos são úteis no estabelecimento de hábitos intestinais dos nossos pequenos.

Não quero ser a “chata” dos textões então... Precisando de algo, entre em contato!

Abraços,

Gisele Camargo – CRN3 52281/P

 

O intestino do seu filho pode estar inflamado e você não sabe

24 março, 2019

Boa noite mamães!
Você já notou sangue nas fezes do seu pequeno? Ele tem reclamado de dores abdominais, cólicas intestinais, cansaço, em alguns casos até dores nas articulações. Com que frequência seu filho tem ido ao banheiro?
Isso tudo em conjunto pode ser um sinal de que seu pequeno está com uma inflamação intestinal, existem 2 tipos mais conhecidos a Reticolite Ulcerativa (RCU) e a doença de Crohn (DC)
Em crianças e adolescentes, as doenças inflamatórias intestinais podem comprometer a curva de crescimento. É preciso estarmos bem atentos! 
Como anda o acompanhamento com o Médico e Nutricionista do seu filho? O diagnóstico é feito pelo médico por meio de vários exames, o tratamento depende da intensidade da inflamação e obviamente do tipo da doença.
A alimentação não deixa de ser importantíssima nestes casos! Vamos para as dicas rápidas? Atenção especial para alimentos fontes de vitaminas: A, E, K e as queridinhas do complexo B, ácido fólico, magnésio, ferro; e muito cuidado com excesso de gorduras e laticínios.
Não posso me aprofundar por aqui, então... Precisando de algo, entre em contato!
Abraços,
Gisele Camargo – CRN3 52281/P 

 

Doença da pele de borboleta: já ouviu falar em Epidermólise Bolhosa (EB)?

11 março, 2019

Olá 👋🏻 já ouviram falar na doença da pele borboleta 🦋 ? Cientificamente conhecida como Epidermólise Bolhosa (EB) é uma doença de pele significativamente rara e de caráter hereditário, geralmente descobertos ainda na infância. 
Ultimamente tenho estudado um pouco esta doença e decidi falar sobre a mesma, ela é caracterizada por surgimento de bolhas pelo corpo todo, podendo ser por um simples toque, calor ou sem nenhuma causa aparente (assim como as asinhas das borboletas que se desfazem facilmente). A doença é classificada pelos grupos: EB simples, EB juncional, EB distrófica e EB adquirida (acomete adultos e é ainda mais rara). As crianças acometidas por esta doença não podem receber um simples abraço de seus pais sem correr o risco de uma erupção bolhosa aparecer em seu corpo, eles sentem muita dor.
Qualquer órgão envolvido por epitélio pode ser lesado na EB, pensando um pouco na minha área de trabalho, temos por exemplo o trato gastrointestinal (canal que leva o alimento para o interior do corpo), podendo causar possível estenose do esôfago e da laringe, desnutrição e anemia.
Como Nutricionista devo zelar pela qualidade de vida e promover a saúde, a anemia e a desnutrição que podem acometer estes pacientes com tipo  grave de EB, tem impacto muito significativo no bem-estar geral causando fadiga, dificuldade para respirar, má cicatrização etc.
🔺É importantíssimo o acompanhamento com o médico especializado e Nutricionista, deficiências nutricionais detectadas exigem assistência.
De forma rápida e simples minha orientação é para se atentarem e ofertarem alimentos ricos em ferro e alimentos que promovem renovação celular (alimentos fonte de vit.A, B2, B3, B6, C e E) por exemplo: abacate, brócolis, cenoura, espinafre, laticínios, ovos, grãos, vegetais verdes escuros entre outros. 
Falando sobre a doença, a gente contribui para visibilidade.

Abraços 🤗 
Gisele Camargo – CRN3 52281/P 

 

A chegada dos primeiros dentinhos: mamães cuidem da sua alimentação!

11 março, 2019

Mamães, cuidem da sua alimentação! Hoje, decidi falar rapidinho sobre a chegada dos dentes decíduos, popularmente conhecidos como dente de leite dos nossos pequeninos (que fofura né🤗).
Vocês têm noção do quanto são valiosas para o seu bebê? Pois vou te provar! Logo na 6ª semana de gestação a sementinha do dentinho de leite começa a se formar, e durante toda a gestação e até o sexto mês (aleitamento materno exclusivo) do seu bebê, você será fundamental para saúde bucal de seus pequenos!
Mamães, então por favor, vamos focar em sua alimentação! Vocês precisam de uma dieta balanceada, e para isso precisam de um acompanhamento profissional, ok? Mas aqui eu posso te dar algumas dicas generalizadas.
Sua alimentação deve ser rica em frutas, legumes e verduras, proteínas, gorduras “boas” (ômegas) e o tão famoso cálcio, por exemplo: lentilha, brócolis, agrião espinafre, couve, e se você não apresentar nenhum fator que a impeça, pode consumir leites e derivados.
No geral, já ouviu falar em: “consuma folhas verdes escuras”? Então elas são ótimas, pois são ricas em vitaminas A, C, K, ácido fólico, vitaminas do complexo B, minerais, cálcio, ferro e fibras, tudo que é extremamente importante para o desenvolvimento da dentição dos nossos pequenos, e muitas outras coisas importantes que não consigo abordar aqui. Não esqueça da vitamina D, ela garante a absorção necessária do cálcio, tome um solzinho matinal, sol é VIDA☀️!
Mamães quero salientar, que o aporte insuficiente de cálcio em sua alimentação, leva o bebê a sugar dos seus depósitos naturais, como por exemplo: seus próprios ossos e dentes. E assim será até o final do período de aleitamento materno exclusivo.
🔺Como sempre digo, mantenha o acompanhamento com o seu médico, nutricionista, dentista e pediatra do seu baby.

Abraços,

Gisele Camargo – CRN3 52281/P

 

5 opções fáceis de lanche escolar para seu pequeno

11 março, 2019

🎒O período letivo começou, você passou o mês de férias inteirinho se dedicando e educando o paladar de seu filho, geralmente os colégios oferecem muitas opções de calorias vazias, e agora você quer manter o ritmo alimentar do seu filho e não sabe como fazer? Calma, estou aqui para te ajudar, e para começar, trago 5 opções fáceis de lanchinhos escolares para você fazer para seu filho:

1. Frutinhas. Não é nenhuma novidade uma nutricionista indicar frutas, não é?! Ok, mas a minha dica na verdade é para que você opte por frutas da estação, elas terão menos agrotóxicos, pois naturalmente estão nascendo, não teremos grandes alterações em seu valor nutricional, e fora que sempre estão mais em conta. Estamos em fevereiro, algumas das frutas da estação são: pera, pêssego, goiaba, maça, uva, entre outras, vá em feiras na sua cidade, os pequenos agricultores estão ofertando exatamente o que estamos procurando 😉👌🏻
2. Um lanchinho de pão integral com queijo branco ou ricota, tempere com um fiozinho de azeite e orégano, fica maravilhoso.
3. Cenorinhas baby, palitinhos de pepino, tomatinhos cereja. Não sei se você já reparou, mas crianças adoram miniaturas, oferte-as 👍🏻
4. Pãozinho de queijo, experimente faze-lo em casa juntinho com seu filho, essa interação fortalece não só o interesse pelo alimento, mas a conexão de vocês;
5. Iogurte, com alguma frutinha (da estação😉) e cereais (granola particularmente é minha preferida❤️). Lembre-se de manter seu filho hidratado! Uma garrafinha com água é muito importante, principalmente nesse calor 😅


🔺Não esqueça de manter sempre o acompanhamento com o Pediatra e um Nutricionista.

Se utilizar alguma dessas dicas me conta? Ficarei tão feliz!

Abraços,🤗 Gisele Camargo – CRN3 52281/P.

 

Se meu filho não comer o prato todo eu posso "completar" com leite?

11 março, 2019

Boa noite🤗
Costuma ser bastante rotineira a dúvida sobre o que fazer, quando a criança não quer comer, ou por algum motivo, os pais não acreditam que a refeição foi o suficiente para a criança e acabam “completando” a refeição com mamadeira.
Se este é o seu caso, eu gostaria de aconselha-lo(a) a não adotar esse tipo de atitude, isso irá criar um ambiente favorável para que a criança passe a recusar cada vez mais as refeições, é importante seguir os horários ensinando-os a ter disciplina, também é necessário respeitar a fome de seu bebê, força-lo a comer gera traumas e induz a distúrbios alimentares futuros, lembre-se que as suas necessidades são bem diferentes da dele.
Deixe sempre à mão frutas e legumes (palitinhos de cenoura e pepino e frutas em pedaços na geladeira) eles são bons petiscos para aguardar até a próxima refeição.
Evite servir bebidas durante a refeição, e não faça da sobremesa uma troca.

🔺Mantenha sempre o acompanhamento com o Pediatra e Nutricionista.

Abraços,

Gisele Camargo – CRN3 52281/P

 

Meu bebê é intolerante à lactose: devo parar de amamentar?

11 março, 2019

Olá 👋🏻 hoje gostaria de solucionar de forma bem RASA essa questão do bebê que apresenta uma intolerância à lactose poder ou não continuar com a amamentação materna.
É importante lembrar que existem tipos diferentes de intolerância à lactose, e que alergia é diferente de intolerância; o acompanhamento e diagnóstico é essencial que seja feito com o Pediatra e um Nutricionista!

O que caracteriza a intolerância à lactose é a deficiência parcial ou total da lactase (enzima que faz a “quebra” da lactose), as manifestações clínicas podem ser inchaço abdominal, cólicas, gases, flatulência, diarreia, náuseas, vômitos e algumas vezes constipação intestinal, e aparecem entre 30 minutos a 2 horas após a ingestão de alimentos que contenham lactose.
O leite materno constitui um verdadeiro escudo imunológico, até o sexto mês de idade ele supre todas as necessidades do lactente e reduz o risco de alergias e doenças crônicas não transmissíveis.

Para os lactentes intolerantes à lactose, o aleitamento materno continua sendo a melhor opção SE A DIETA MATERNA ESTIVER LIVRE DE QUALQUER ALIMENTO QUE SEJA FONTE DE LACTOSE, pois a lactose ingerida pela mamãe passa para o bebê através do leite materno, do contrário as fórmulas infantis da categoria: “Sem lactose” é a solução.

Procure sempre seu médico e nutricionista!

Um beijo

Estou à disposição: nutricionista@giselecamargo.com.br 

 

Seletividade alimentar: meu filho só quer "besteiras"

11 março, 2019

Olá 👋🏻
Vamos conversar um pouco sobre seletividade alimentar? Acredito que a maioria das mamães sabem do que eu estou falando, é aquele desafio que pode ter início no período de introdução alimentar (após o 6º mês). As crianças podem começar a serem altamente seletivas recusando a comer legumes, hortaliças e frutas (apesar de terem uma facilidade maior para aceitarem alimentos mais adocicados, como as frutinhas).
Como se caracteriza?

1 Recusa significativa de determinados grupos alimentares.
2 Não apresenta envolvimento, não se interessa pelo alimento.
3 Falta de apetite.

O período de introdução alimentar é crucial para o desenvolvimento do paladar, ele pode ser construído aos pouquinhos com a oferta dos alimentos para as criança, nesse período ela não tem muita percepção se o alimento está pouco adoçado ou com pouco sal, porém se você começar a ofertar as coisas adoçadas, ele irá perceber quando algo não está tão doce, e provavelmente não terá uma boa aceitação.
É importante não desistir, por exemplo, você ofertou mamão hoje para o seu filho, porém ele fez algumas caretinhas e não quis comer muito bem, então você rapidamente considera que ele não gosta do mamão e começa a não ofertar tanto, é aí que você não deve desistir! Um gosto é construído pelo hábito, lembre-se de intercalar as ofertas de alimentos novos.
Quero ressaltar também que esse gatilho pode ter ocorrido por algum trauma, algum período que a família passou, ou por alguns fatores sensoriais, aí se faz a importância de um acompanhamento multiprofissional.
Deixo claro a importância do acompanhamento com o pediatra e nutricionista do seu bebê

Um beijo!

Estou à disposição: nutricionista@giselecamargo.com.br 

 

Posso oferecer água ao meu bebê antes do 6º mês?

11 março, 2019

É comum as mamães terem dúvida sobre a introdução de água nos primeiros 6 meses do bebê.

Visto que, a recomendação da OMS (organização Mundial da Saúde) é fazer Aleitamento Materno Exclusivo até o 6 mês do bebê, e considerando todas as propriedades que compõem o leite materno NÃO é necessário dar água aos bebês que se alimentam EXCLUSIVAMENTE do leitinho do peito de sua mamãe.

Já os bebês que tomam fórmula, é importante conhecer sua formulação e orientação!

Cada caso é um caso, e o acompanhamento com o pediatra e um Nutricionista é primordial

Espero ter sido sucinta!

Grande 😘 
Entre em contato comigo, eu terei um imenso prazer em falar com você! nutricionista@giselecamargo.com.br 

 

Por que eu não consigo emagrecer?

3 janeiro, 2019

Essa é uma questão bem conhecida, muito se aborda atualmente sobre meios de emagrecimento de forma rápida, estamos em um momento em que tudo precisa ser muito instantâneo, mas já parou para pensar que não somos uma máquina? Que somos uma constituição de células, que temos gostos, hábitos e crenças diferentes; e que por isso nem tudo que funciona para meu “amigo” funcionará para mim.

Somente reduzir a ingestão de alimentos pulando refeições, ou ficando muito tempo sem se alimentar pode levar a perdas importantes para o funcionamento do seu corpo, na maioria dos casos perde-se principalmente massa muscular, o que levará a mudanças em seu metabolismo que aumentará as chances de ganho de peso.

O emagrecimento irresponsável de forma rápida e com muitas restrições gera trauma; trauma não só físico, mas mental, sua mente tende a te recordar justamente aquilo que você se privou, é natural que você deseje algo em que pense tanto; afinal, não é muito legal você comer uma coisa, desejando outra, então quando você se permitir, você provavelmente irá exagerar, e depois do exagero, vem a culpa, uma palavrinha pequena que define um sentimento tão pesado.

É um ciclo vicioso em que muitas pessoas estão vivendo, gera uma certeza mentirosa em sua mente de incapacidade, fracasso, desilusão, que te distancia cada vez mais da sua autoaceitação.

Pare de basear-se em índices antropométricos isolados, por exemplo: só o peso, ou somente o seu IMC, ou a circunferência da sua cintura. Nem sempre reduzir o peso é o que você realmente precisa, o cuidado com sua saúde deve estar em 1º lugar, entenda que ela é um aglomerado de índices, condições fisiológicas, físicas e mentais, não dá para cuidar de um em detrimento do outro.

A dificuldade em si não é o conseguir emagrecer, e sim como fazer isso sem prejudicar sua saúde e manter. O emagrecimento é um processo interno educacional, onde sua mente, precisará estar em equilíbrio com seu físico.

Enxergue o quanto você é real! Você é muito mais do que um número em uma balança, as curvas do teu corpo não definem quem você é!

Permita que o alimento seja seu amigo, mais do que uma dieta, precisamos ser sensatos e apostar na reeducação alimentar, para um emagrecimento responsável e saudável.

Grande beijo!

Entre em contato comigo, eu terei um imenso prazer em falar com você!  nutricionista@giselecamargo.com.br